• Compartilhe:

SOL E CALOR: CUIDADO COM OS EXCESSOS

O verão é sempre bastante convidativo para curtir o dia. Seja pela permanência prolongada do sol ou pelo calor típico da estação. Mas, saiba que essa combinação, sol e calor, precisa ser bem equilibrada. Nosso corpo agradece!

Algumas pessoas sofrem de sensibilidade e intolerância ao calor. Além de um simples mal-estar, a falta de regulação da temperatura do corpo também pode apresentar sintomas mais graves, como desmaios. Por isso, é importante entender como tudo acontece.

O hipotálamo, uma região do nosso cérebro, controla de forma delicada nossa temperatura corporal. Ele envia sinais aos nervos da pele para a liberação de suor. E o suor, quando evapora, esfria a pele.

Até aqui, tudo normal. O problema ocorre quando esta sensação de calor é prolongada e acompanhada de cansaço excessivo, desânimo, fraqueza, contrações musculares, tontura, dormência e até mesmo batimento cardíaco acelerado (em repouso).

Estes podem ser sinais claros de superaquecimento corporal. Isso porque nosso organismo vive em equilíbrio térmico, entre 35 e 37 graus. Abaixo disso, é considerado hipotermia. Acima, hipertermia. Esta segunda pode ocorrer por causas internas, infecções, ou por causas externas, quando a temperatura está muito alta.

Quando o corpo entra em hipertermia, perde líquido, e os vasos se dilatam, o que diminui a pressão do sangue. A queda na pressão arterial, chamada de hipotensão, diminui a circulação também no cérebro, o que causa dor de cabeça e confusão mental, levando à irritabilidade e ao mau humor. Em casos mais extremos, como idosos e pessoas com problemas vasculares, pode levar a um AVC (acidente vascular cerebral).

CAUSAS

A sensibilidade ao calor pode ser ocasionada por uma série de fatores. As principais são:

·         Medicações para alergias, controle da pressão arterial e para congestão nasal;

·         Consumo de cafeína, que estimula o batimento cardíaco e o funcionamento do metabolismo, aumentando a temperatura corpórea;

·         Hipertireoidismo, porque uma quantidade aumentada de hormônios também aumenta a temperatura do corpo;

·         Esclerose múltipla, porque a doença ataca várias partes do corpo, inclusive os nervos, que podem ficar danificados e não conseguir transmitir os sinais para que o corpo produza suor;

·         Ter alguma doença neurológica.

Portanto, fique atento! Em um país tropical como o nosso, é praticamente impossível fugir das altas temperaturas.

O QUE FAZER?

·         Mantenha-se hidratado, bebendo bastante líquido (preferência para água e sucos);

·         Use roupas claras, com tecidos leves que permitam que a transpiração seja evaporada;

·         Tenha preferência por alimentos frios, como frutas e saladas;

·         Evite o uso de bebidas alcoólicas em excesso, assim como de alimentos de difícil digestão;

·         Realize atividades físicas de qualquer modalidade nos períodos de menor incidência solar e, consequentemente, de menor temperatura ambiente;

·         Banhe-se sempre para diminuição da temperatura corporal, não esquecendo de molhar a cabeça.

Ao procurar ajuda médica, lembre-se de dizer quando os sintomas começaram e em que intensidade ocorrem. Também informe se está tomando algum medicamento ou fazendo tratamento hormonal.

Conte com a Clínica Salute para ajudar no seu caso: (51) 3012-6002.

 

Unidade Cavalhada

Av. Otto Niemeyer, 2685 - Porto Alegre/RS

Unidade Restinga

Av. Economista Nilo Wulff, 898 - Porto Alegre/RS

Unidade Zona Norte

Av. Assis Brasil, 2154 - Porto Alegre/RS